Linfomas

O que é?

O sistema linfático é composto por linfócitos (células do sistema de defesa) e gânglios (ou linfonodos) que estão espalhados pelo nosso corpo para nos proteger de infecções. O baço também faz parte do sistema linfático. Os linfócitos podem ser do tipo T ou B, sendo que ambos participam do nosso sistema imunológico. Com isso, os linfomas podem ser do tipo T ou B, dependendo da célula de origem. Essas células dão origem ao linfoma, tumores do sistema linfático que na maioria dos casos são oriundos do tipo B. Os linfomas podem acometer pacientes de todas as idades e a sua evolução varia, podendo apresentar um comportamento pouco ou mais agressivo dependendo do tipo.


Tipos de Linfomas 

Os dois tipos principais de linfoma são de Hodgkin e não-Hodgkin. O Linfoma de Hodgkin geralmente acomete pacientes entre 20 e 30 anos de idades e aqueles com mais de 60. Há dois subtipos de Linfoma de Hodgkin: o clássico e de predomínio linfocitário nodular. O Linfoma de Hodgkin Clássico pode ser subdividido em esclerose nodular, celularidade mista, depleção linfocitária e o rico em linfócitos. Esses subtipos de Linfoma de Hodgkin Clássico costumam a ser tratados da mesma maneira enquanto que o Linfoma de Hodgkin predomínio linfocitário nodular pode ter uma abordagem distinta.

Dependendo do ritmo de crescimento os linfomas não-Hodgkin podem ser de baixo grau (ou indolentes) ou de alto grau (mais agressivos). Os linfomas de baixo grau geralmente apresentam uma evolução mais crônica enquanto os de alto grau, mais aguda. Os tipos mais comuns de linfoma não-Hodgkin são o linfoma folicular (indolente ou baixo grau) e o linfoma difuso de grandes células B (mais agressivo).

Sintomas e Diagnóstico

A apresentação mais comum dos linfomas são o aumento de gânglios que podem ou não vir associado a febre, mal estar, perda de apetite e peso, fraqueza e sudorese. O diagnostico é feito por meio de biopsia onde parte ou todo o gânglio é removido para analise no laboratório de patologia. Essa analise poderá dizer se o linfoma é do tipo Hodgkin ou não Hodgkin, de células T ou B, e se trata de um linfoma com características menos ou mais agressivas.

Fatores de Risco

Na maior parte dos casos não se identifica causas para o linfoma. De um modo geral os linfomas podem estar associados a vírus ou outras doenças, porém esses representam uma pequena minoria dos casos.

Estadiamento

O estadiamento é feito por meio de exames de imagem, tomografia computadorizada (TC) com ou sem emissão de pósitrons (PET), biópsia de medula óssea e exames de sangue. Os exames de imagem e a biópsia de medula óssea são realizados para determinar a extensão do envolvimento pelo linfoma. Em alguns casos o exame de líquor é necessário para o estadiamento.

Tratamento

O tratamento depende do tipo e subtipo de linfoma e sua extensão. Nas formas mais localizadas de Linfoma de Hodgkin o tratamento geralmente inclui quimioterapia com ou sem radioterapia. Nas formas mais avançadas desse linfoma, o tratamento inclui quimioterapia somente. Nos Linfomas não-Hodgkin, a extensão e o subtipo determinam o tratamento. Nas formas indolentes de Linfoma não-Hodgkin a conduta inicial pode ser de observação, imunoterapia (com anticorpos), radioterapia, e/ou combinação de quimioterapia. Nas formas mais agressivas do Linfoma não-Hodgkin, o tratamento sempre inclui quimioterapia combinado a um anticorpo associado ou não a radioterapia.

Endereço:

Rua Maestro Cardim, 769
CEP: 01323-001 | Bela Vista | São Paulo - SP

OUTRAS UNIDADES BP: