Câncer Anal

O câncer do canal anal geralmente é curável e apresenta um bom prognóstico. Apesar de ser um tumor raro, sua incidência vem aumentando principalmente pelo crescimento da infecção do vírus HPV.

O que é?

O câncer de canal anal é um tumor de bom prognóstico, geralmente curável, que se desenvolve a partir da transformação de células que revestem a região, localizada entre a porção final do reto e a pele que circunda o ânus. É um tumor raro, contribuindo com cerca de 2% dos tumores do sistema digestivo. Entretanto, sua incidência vem aumentando nos últimos 30 anos, associado principalmente com o aumento da infecção pelo vírus HPV (Human papillomavirus).


Tipo de Câncer do Canal Anal

A maioria dos tumores do canal anal se originam das células que revestem a sua parede, também chamados de tumores epidérmicos (epidermóides, cloacogênicos, basalóides e de células transicionais). Caracterizam-se pela associação com o HPV e pelas altas taxas de cura com quimioterapia e radioterapia. Outros tipos menos frequentes incluem o Adenocarcinoma (condição rara, tratada da mesma forma que os tumores de reto), melanoma e sarcoma. Os carcinomas de pele da margem anal (abaixo do canal anal, na região perineal) são tumores de pele, não sendo considerados como tumores do canal anal.


Sintomas e Diagnóstico

Sangramento anal é o sinal mais frequente, seguido por dor pélvica e sensação de peso e prurido na região anal. Entre os pacientes com carcinoma de células escamosas, a presença de condiloma anoretal (lesão com aspecto de couve-flor, sexualmente transmissível) pode ocorrer em até 50% dos casos. Caso o paciente apresente algum dos sintomas acima, deverá procurar um médico para a realização de um exame proctológico minucioso. Além disso, pode ser feita uma Anuscopia (através da introdução de uma pequena câmera com uma luz na ponta) com biópsia, para esclarecimento diagnóstico.