Cardiopatia Congênita

O que é?

A área da cardiologia pediátrica especializada em cardiopatias congênitas diagnostica e trata defeitos estruturais do coração provocados por malformações que surgem na fase de desenvolvimento do embrião. 

Principais doenças

Entre os tipos mais comuns de problemas estão a comunicação interatrial; a persistência do canal arterial (PCA), vaso que liga a aorta à artéria pulmonar na fase fetal e que deveria se fechar sozinho após nascimento; a comunicação interventricular (interligação indevida dos átrios ou ventrículos); a tetralogia de Fallot (obstrução que diminui o fluxo de sangue no pulmão); transposição das grandes artérias (inversão dos vasos, fazendo com que o sangue que deveria ir para o restante do corpo seja enviado para o pulmão e vice-versa); e defeito do septo atrioventricular total (combinação de defeitos cardíacos que incluem ligação indevida entre os átrios direito e esquerdo, ventrículos direito e esquerdo e uma única valva para a comunicação atrioventricular, problema mais comum em portadores de Síndrome de Down). Além dessas, existem outras, inclusive mais complexas, como a síndrome da hipoplasia do coração esquerdo (desenvolvimento incompleto do lado esquerdo coração).

Diferenciais da BP

Com uma história de mais de 30 anos repleta de realizações e pioneirismos, continuamos na liderança latino-americana em termos de diagnóstico e tratamento das cardiopatias congênitas. Berço de técnicas cirúrgicas que se tornaram referência mundial, atuamos como um polo superespecializado, capacitado para tratar os casos mais complexos. Contamos com uma equipe de gabaritados cardiologistas pediátricos e uma estrutura tecnológica que reúne os mais avançados recursos disponíveis no mercado a fim de oferecer as melhores condições para o cuidado de pacientes tão delicados.

Dispomos de UTI Neonatal e UTI Pediátrica Cardiológica com equipes especializadas e somos a única unidade hospitalar do Brasil a contar com perfusionistas 24 horas por dia. Esses especialistas são responsáveis por um recurso indispensável para as intervenções cirúrgicas corretivas das cardiopatias congênitas: a circulação extracorpórea. Vale citar ainda nossos equipamentos de oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO), outra forma de circulação mecânica que ajuda na oxigenação e remoção do gás carbônico do sangue.

Além desses recursos humanos e tecnológicos, na BP contamos com iniciativas diferenciadas, como o Programa de Acompanhamento da Gestante com Cardiopatia Congênita, que envolve equipe médica, de enfermagem e psicologia.  O objetivo é aproximar as futuras mamães do ambiente e das tecnologias que poderão ser empregadas durante o tratamento de seus bebês, o que contribui para melhorar a experiência das nossas pacientes e para uma assistência pautada pela humanização.

Quando procurar

Se a cardiopatia congênita não foi detectada na fase pré-natal, é importante procurar um cardiopediatra se observar que seu bebê apresenta sintomas como falta de ar, cansaço ao mamar, pele com coloração azulada ou roxa (cianose) e dificuldade em ganhar peso, entre outros. 

Quando a cardiopatia congênita é detectada no pré-natal, na BP fazemos a programação do parto, que será acompanhado por um cardiopediatra, e reservamos sala cirúrgica e leito na UTI Pediátrica Cardiológica para a intervenção corretiva ou paliativa e continuidade do cuidado.