Bronquiolite

Entendendo a doença

A bronquiolite é uma infecção dos bronquíolos, pequenas ramificações que levam o oxigênio até os alvéolos, a extremidade final do nosso sistema respiratório. Na maioria das vezes, a doença é causada pelo vírus sincicial respiratório (VSR) e afeta principalmente crianças de até 2 anos. Provoca excesso de muco e inchaço nas vias respiratórias, o que prejudica a oxigenação e dificulta a respiração.

Quanto mais nova a criança – ou se ela é prematura ou cardiopata –, mais cuidados a bronquiolite exige, pois a gravidade costuma ser maior. A bronquiolite também pode ocorrer em crianças maiores e até em adultos, porém os sintomas tendem a ser mais brandos, como os de um resfriado comum.  


Tipos

Não existem diferentes tipos de bronquiolite. A doença é causada por vírus, principalmente o vírus sincicial respiratório. Mas outros tipos de vírus podem estar relacionados à bronquiolite, como adenovírus, rinovírus, metapneumovírus, influenza, parainfluenza, enterovírus e bocavírus.


Sintomas

Geralmente, os sintomas iniciais da bronquiolite são parecidos com os de um resfriado comum: coriza, tosse e febre baixa. Porém, ao longo do terceiro ao quinto dia de evolução da doença, a criança apresenta desconforto ao respirar, dificuldade para mamar, baixo índice de oxigênio no sangue e chiado no peito, provocados pela inflamação e obstrução das vias respiratórias.


Diagnóstico

Na grande maioria dos casos, o pediatra faz o diagnóstico com base no exame clínico e avaliação do histórico de sintomas. Eventualmente, o médico poderá solicitar uma radiografia do tórax, quando há dúvida diagnóstica.


Tratamento

A bronquiolite tem cura e na maioria das vezes pode ser tratada com medidas simples, como inalação para diluir as secreções e lavagem nasal. Dependendo do quadro, o médico poderá prescrever medicamentos broncodilatadores e sessões de fisioterapia respiratória. Casos mais graves podem exigir a internação da criança para um melhor acompanhamento.


Fatores de risco

O principal fator de risco é a pouca idade. A bronquiolite afeta com maior gravidade bebês e crianças com até 2 anos, devido à pouca maturidade do seu sistema imunológico. Prematuros, crianças com problemas cardíacos e com deficiência no sistema imunológico são ainda mais vulneráveis.


Prevenção

Uma das principais formas para prevenir a bronquiolite é evitar que as crianças fiquem em ambientes fechados e pouco ventilados ou em lugares com aglomerações e que tenham contato com pessoas doentes – crianças e até adultos com resfriado. É que o contágio pelos vírus causadores da doença acontece por meio do contato com gotículas expelidas pela boca ou pelo nariz da pessoa infectada e com objetos dela que acabam contaminados. Outra
medida indicada para a prevenção é a higiene constante das mãos, usando sabão ou álcool em gel.


Novidades

Em relação à prevenção da evolução das formas mais graves e possíveis internações, uma novidade são os anticorpos monoclonais, medicamentos que estimulam o sistema imunológico a combater os vírus. No entanto, esse tipo de medicação é indicado apenas em casos específicos, como prematuros e cardiopatas. A aplicação é feita mensalmente nos períodos sazonais de maior prevalência da bronquiolite.


Diferenciais BP

Com a nossa qualificada equipe de pediatras e pneumologistas pediátricos e completa linha de serviços, estamos preparados para proporcionar à sua criança tudo o que é preciso para enfrentar a bronquiolite: do diagnóstico preciso ao tratamento mais adequado e efetivo para cada caso, tudo isso combinado com uma abordagem humanizada e acolhedora.


Outro importante diferencial da BP são as estruturas assistenciais focadas no atendimento de pacientes pediátricos, como o Pronto-Socorro Infantil e uma ala de internação exclusiva, capaz de oferecer toda a segurança, qualidade e conforto aos bebês, crianças e seus familiares.