Urticária

Entendendo a doença

A urticária é uma condição clínica marcada pelo surgimento repentino de lesões avermelhadas na pele, às vezes com um núcleo um pouco mais claro, que provocam coceira. Em alguns casos, podem estar associadas a inchaço (angioedema) dos lábios, orelhas, pálpebras e genitais. Essas lesões, chamadas urticas, podem aparecer em qualquer parte do corpo. Elas surgem em determinados pontos da pele, desaparecem em menos de 24 horas, sem deixar marcas, manchas ou cicatrizes, porém, geralmente, reaparecem depois em outros pontos.

Estima-se que, ao longo da vida, uma em cada cinco pessoas terá pelo menos um episódio de urticária. Em até metade dos pacientes não há uma causa específica. Dentre os demais casos, a principal causa são as infecções virais. Há ainda quadros associados a alergias, principalmente a alimentos (leite, ovo, soja, trigo, amendoim, castanha, nozes, peixes, camarão e frutos do mar), medicamentos (anti-inflamatórios, antibióticos e anticonvulsivantes), picadas de inseto (formiga, abelha e vespa) e látex.


Tipos

As urticarias costumam ser classificadas de acordo com o tempo de duração do problema:

  • Aguda: pode durar de horas até seis semanas.
  • Crônica: se prolonga por um período maior que seis semanas, podendo durar até anos em alguns casos.

Sintomas

O principal sinal de urticária são as lesões avermelhadas que surgem repentinamente e provocam coceira. Elas podem apresentar formas diferentes e, às vezes, acabam formando placas. Mesmo com coceira intensa, não é comum que a pessoa machuque a pele.


Diagnóstico

O diagnóstico da urticária é clínico, ou seja, o alergista, que é o médico especializado no cuidado desse tipo de problema, se baseia na evolução do quadro do paciente e observação do tipo de lesão. Não há a necessidade de exames para confirmar o diagnóstico. Eles são solicitados somente nos casos em que é preciso investigar a suspeita de um fator que tenha desencadeado o problema, como ingestão de certos alimentos ou picadas de inseto, por exemplo.

No caso de suspeita de urticária provocada por alergia, o diagnóstico, na maioria das vezes, é obtido por meio do teste cutâneo de leitura imediata (Prick Test) e pelo exame de sangue para analisar o IgE, um tipo de anticorpo. Em casos selecionados, pode ser indicado o teste molecular, que permite, com mínima quantidade de sangue (20µL), analisar 112 componentes (frações proteicas) de 51 fontes, como alimentos e outros tipos de substâncias alergênicas.


Tratamento

A urticária é tratada com anti-histamínicos (antialérgicos) de segunda geração. Em relação aos antialérgicos de primeira geração, eles são mais seguros, pois não atingem o sistema nervoso central, e não provocam efeitos colaterais como sonolência, irritabilidade e alteração de concentração. Em casos mais graves e intensos, pode ser necessária a administração de corticoides orais, medicamentos com ação anti-inflamatória.


Fatores de risco

Não há fatores de risco específicos para o desenvolvimento de urticária, mas o problema é mais frequente em quem já apresentou um episódio anterior e em pessoas que têm outras doenças alérgicas, como rinite, asma e dermatite atópica.


Prevenção

Não há uma forma de prevenir um primeiro episódio de urticária. Mas, depois que ela ocorreu e sua causa foi identificada, deve-se evitar um novo contato com a substância que provocou o quadro, como a ingestão de alimentos alergênicos. O acompanhamento com um alergista é importante para prevenir uma nova ocorrência.


Novidades

Os medicamentos imunobiológicos, substâncias que agem em pontos específicos do sistema imunológico em tratamento de doenças, são as mais recentes opções para enfrentar a urticária crônica espontânea (que surge sem uma causa conhecida e perdura por mais que seis semanas). Um exemplo é o anti-IgE, um anticorpo monoclonal que apresenta excelente eficácia e bom perfil de segurança. Além dele, outros imunobiológicos estão em fase de estudos, entre eles, ligelizumabe, mepolizumabe, benralizumabe e kanakinumabe.


Diferenciais BP

Na BP, você conta com uma equipe de alergistas e imunologistas com ampla experiência no diagnóstico e tratamento da urticária, tanto de pacientes pediátricos como adultos. São profissionais qualificados e sempre sintonizados com as novidades científicas. Afinal, na BP, estamos sempre em movimento para proporcionar aos nossos pacientes os melhores cuidados. Além do time de médicos especializados, outro aspecto importante é que dispomos dos principais exames necessários para a investigação de todos os tipos de urticária, sejam elas agudas ou crônicas.